Prefeito reúne colegiado para traçar medidas de enfrentamento às chuvas

O prefeito Fabrício Oliveira reuniu na manhã desta quarta-feira (24) todo o colegiado municipal para traçar medidas emergenciais para solucionar ou amenizar os problemas de alagamentos em Balneário Camboriú

Por JB Negócios 24/01/2018 - 16:17 hs

A ampliação do serviço de manutenção das bocas de lobo e drenagem e a elaboração de um plano de macrodrenagem estão dentro das estratégias.

“Mais uma vez, nossa cidade foi atingida por um temporal no final da tarde de ontem, choveu pouco mais de 58 milímetros em apenas duas horas. É muita água em pouco tempo e o escoamento fica prejudicado, as galerias não dão conta do alto volume de chuva. Por isso, esta manhã, me reuni com membros do governo para que diante da grande quantidade de chuva que vem ocorrendo nas últimas semanas, algumas medidas sejam tomadas e outras reforçadas”, falou o prefeito.

De forma emergencial, a Administração Municipal irá contratar nos próximos dias, uma equipe específica de manutenção permanente das bocas de lobo da cidade, que hoje são em torno de 10 mil. Serão três caminhões hidrojato para percorrer as ruas mais prejudicadas em todos os bairros da cidade e dobrar a capacidade de atendimento atual, com o trabalho que já vem sendo executado pela Secretaria de Obras, que também conta com três caminhões atuando nessas manutenções.

Como ação secundária, a EMASA está em fase final de elaboração do Termo de Referência para contratação de uma empresa especializada em elaborar um Plano de Macrodrenagem da cidade, que vai estudar todas as alternativas para que o caminho das águas seja o mais correto possível e não cause tantos alagamentos. O Plano vai estudar também as formas para conter as águas em depósitos subterrâneos, fazendo com que as redes pluviais possam não só conduzir águas, como também reservar em poços no subsolo. E ainda, criar bolsões para segurar os detritos que descem dos morros e não encham as tubulações pluviais.

“As galerias pluviais de várias avenidas e ruas podem estar com assoreamento de barro e precisamos estudar medidas para que esse material não vá para as galerias e até para o Rio Marambaia, que estamos desde o ano passado no processo de revitalização e foi prejudicado essa semana com toda essa chuva”, ressaltou Fabrício.

O que já está sendo feito

As equipes da Secretaria de Obras estão em uma força tarefa para deixar a orla da Praia Central pronta para receber moradores e turistas. Também estão em lavação e manutenção das ruas que foram atingidas e com equipes consertando os buracos e estragos causados no asfalto.

A Defesa Civil, Secretarias de Obras, de Segurança, de Saúde, Educação, Inclusão Social e todo aparato público municipal está sobre alerta, e pronto para entrar em ação sempre que houver ocorrências, junto ao Corpo de Bombeiro, Polícia Militar, e órgãos de segurança estaduais que trabalham alinhados com o Município.

Estragos da chuva

Nesta terça-feira (23), choveu 58,05 milímetros, o que equivale a 30% da chuva prevista para todo o mês de janeiro. “Neste mês já tivemos precipitação pluviométrica de 372,72 milímetros, quase o dobro do que seria normal para o mês de janeiro, que, historicamente, fica na média de 195 milímetros”, ressaltou o diretor da Defesa Civil de Balneário Camboriú, Fabrício Melo. As rajadas de vento atingiram 42 km/h na cidade.

A Defesa Civil estima que 5 mil pessoas foram atingidas pelo temporal. Em Balneário Camboriú foram registrados destelhamentos nos bairros Centro, Vila Real, Municípios, São Judas Tadeu, Barra e Taquaras. Também houve quedas de árvores em carros, via pública e fiação elétrica, além de quedas de placas, tapumes, vidros e muros nos bairros das Nações, Municípios, Centro, Nova Esperança, Ariribá, Estados e Iate Clube.

A chuva causou alagamentos em diversas ruas por toda a cidade, que danificaram a pavimentação e prédios públicos da Secretaria de Saúde. Os ventos e as quedas de árvores danificaram a fiação elétrica e 14 mil unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica.